Dieta Low Carb é a melhor opção para perder peso?

Dieta low carb é uma das queridinhas hoje quando o assunto é perda de peso. Nessas dietas, normalmente, há uma redução da quantidade de carboidratos e aumento do aporte de proteínas. Discute-se esse tipo de dieta há algum tempo, com nomes diferentes como “Dieta Atkins”, “South Beach” e tantas outras. Na verdade, não há nada de novo na dieta low carb, ela apenas recebeu uma nova roupagem e ganhou mais espaço nas mídias nos últimos tempos.

Pensando nos macronutrientes, temos proteínas, gorduras e carboidratos. As proteínas exercem basicamente funções estruturais e metabólicas, as gorduras possuem importantes funções, entre elas, o fornecimento de energia para nosso corpo e os carboidratos são essencialmente energéticos. Portanto, quando consumimos carboidratos e gorduras em excesso estamos favorecendo aumento de reservas energéticas. E isso é bem óbvio. Se você come X+ X e gasta apenas x, o corpo irá armazenar o excedente e isso irá se refletir no aumento do % de gordura corporal e ganho de peso.

A dieta low carb visa restringir os carboidratos e isso poderia estimular a utilização das nossas reservas e ajudar na perda de peso. A maioria das dietas low carb também aumentam o aporte de proteínas, pois a sua metabolização geraria um aumento do gasto energético, o que também poderia ser interessante nesse raciocínio, além de dar mais saciedade.

Parece perfeito não é?

Mas precisamos refletir alguns pontos antes de estabelecer dieta low carb como a melhor opção para a perda de peso:

  1. De fato, existem indivíduos que possuem padrão genético que respondem bem a uma dieta com até 49% de carboidrato, mas da mesma forma existem outros em que a restrição de carboidrato não seria necessária pensando em perda de peso, ou seja, isso pode variar bastante;
  2. Importante destacar que carboidratos são a fonte de energia preferida pelo cérebro, portanto, restrições exageradas podem alterar comportamento, desencadeando compulsão alimentar, o que poderia impactar negativamente na adesão de bons alimentos alimentares e de um plano alimentar, atrapalhando os resultados. Já vi muitos pacientes desejarem e até sonharem com doces e carboidratos, a ponto de perderem o autocontrole. Além disso, também é bastante comum oscilações de humor, aumento de irritabilidade e impaciência em algumas pessoas. Por isso, é de fundamental importância uma avaliação nutricional individualizada com análise de perfil metabólico, social e comportamental de cada indivíduo antes da realização de uma dieta low carb e se de fato, há essa indicação.
  3. Dependendo do tempo e tipo dessa dieta, algumas pessoas podem apresentar outros efeitos indesejáveis como cansaço, falta de energia, indisposição, sonolência e dores de cabeça, além da redução do aporte de vitaminas, minerais e compostos bioativos quando há diminuição da ingestão de frutas e vegetais, por exemplo.
    E o principal, quando se fala em perda de peso, não é só perder e sim manter! Muitos indivíduos até conseguem perder, mas voltam a ganhar peso posteriormente, pois não houve mudança de hábitos, apenas restrições. Ou seja, dietas exageradamente restritivas não conseguem e não podem ser seguidas por muito tempo.

E qual a melhor opção?

A partir da avaliação de parâmetros bioquímicos e metabólicos, perfil emocional, cultural e alimentar de cada indivíduo, é possível entender qual a causa do excesso de peso ou alteração metabólica e todos os fatores associados e só a partir daí, é possível identificar o melhor caminho e a estratégia mais assertiva para cada caso.

Converse com seu Nutricionista!

Área de Conhecimento

Novidades em primeira mão

Cadastre seu e-mail e fique por dentro das últimas notícias!